O que os chakras dizem sobre a sua saúde?

Por Equipe Keyo

Atualmente a tecnologia facilita muito a nossa vida e nos fornece a oportunidade de conhecer sobre os mais variados assuntos e ainda que rapidamente tomarmos contato com a sabedoria milenar que nos cerca. Assim é em relação aos chakras, que pelo menos uma vez na vida, já ouvimos falar a respeito.

Chakras são vórtices (redemoinhos) ou centros de energia distribuídos pelo nosso corpo. Aliás, a palavra “chakra”, do sânscrito, significa “roda de luz”. Mencionados no “Vedas”, livro sagrado do Hinduísmo, há uma incerteza sobre quantos deles estão presentes no corpo humano. Algumas escrituras apontam que há 32 mil, enquanto outras alegam 88 mil. Há, contudo, um consenso de que os sete principais estejam ao longo da coluna vertebral e quando em equilíbrio, eles proporcionam mais saúde física, intelectual, emocional e espiritual.

Ilustração da posição de cada um dos sete chakras.
Tijana87 / Getty Images Pro / Canva Pro / Eu Sem Fronteiras

Como essas rodas giram constantemente, elas absorvem e lançam sinais energéticos em pontos específicos do corpo humano. Se elas estiverem em desequilíbrio, podem afetar órgãos e glândulas ao seu redor e causar disfunções. Nesse sentido, cuidar do equilíbrio dos sete chakras significa preservar o bom funcionamento do organismo e conquistar saúde integral.

Quando há desequilíbrio de algum chakra, é possível identificá-lo a partir do tipo de problema e onde ele está ocorrendo no corpo humano. Assim, meditar ou energizar o chakra cardíaco ou Anahata Chakra, por exemplo, significa evitar a imunidade baixa, a depressão e até prevenir infartos. Logo, conhecer as influências de cada um desses centros energéticos é fundamental para prevenir distúrbios e doenças. Então siga na leitura e saiba quais órgãos podem ser preservados ou tratados e curados ao cuidar de cada uma dessas “rodas de luz”.

Chakra Básico ou Muladhara Chakra

O primeiro chakra, chamado de básico ou Muladhara, também é conhecido por Raíz e está localizado na região do períneo, abrangendo o cóccix, na base da coluna vertebral. Ele se relaciona com todas as partes “densas” do corpo humano como espinha, ossos, dentes, unhas, músculos, tendões, também as glândulas suprarrenais e o intestino grosso, no qual transita matéria sólida.

Quando o chakra básico está desequilibrado, ele provoca sinais como falta de energia física, problemas na coluna, na lombar, no ciático, no intestino, hemorroidas, fístulas, problemas nas pernas, aumento de peso corporal etc. E para mantê-lo equilibrado ou para obter a cura de algum problema que tenha surgido, a meditação é uma alternativa indicada, principalmente quando direcionada a esse centro energético. Além disso, ela promove o alinhamento da coluna, ossos mais fortes e saudáveis, bom funcionamento de músculos e tendões, bem como o controle da massa corpórea.

Chakra sacral ou Svadhisthana Chakra

O segundo chakra é o sacral ou Svadhisthana e está localizado abaixo do umbigo, na região pélvica até a altura do sacro, sendo responsável pelo sistema reprodutor, pela fertilidade e pelos estímulos sexuais. Também está relacionado aos rins, a uma parte da lombar, do quadril e do osso sacro, bem como aos fluidos do corpo humano como sangue, urina, linfa, sucos gástricos e digestivos, lágrimas, líquido amniótico e outros.

O desequilíbrio desse chakra pode causar rigidez lombar, disfunções uterinas, problemas na bexiga e renais, impotência etc. Além de consultas regulares ao médico, uma rotina de exercícios físicos e dieta alimentar rica em nutrientes, adotar a prática da meditação focada nesse centro energético é uma medida que beneficia tanto esse ponto vital quanto o organismo como um todo.

Chakra do plexo solar ou Manipura Chakra

O terceiro chakra é o do plexo solar ou Manipura, também chamado de umbilical. Ele se localiza no abdômen, na região do umbigo e próximo do estômago, sendo responsável pelo pâncreas e pelas glândulas suprarrenais, que se relacionam ao metabolismo, tanto sistema digestivo quanto nas unidades celulares. Ainda influencia órgãos como o fígado, o baço, a vesícula biliar e o estômago, além do sistema vegetativo.

Quando em desequilíbrio, o chakra do plexo solar provoca distúrbios digestivos como gastrite e úlcera e problemas nos rins. Além disso, potencializa os riscos para diabetes ou para a hipoglicemia. É para evitar esses problemas e outros que manter uma alimentação saudável, evitar a ingestão excessiva de bebidas alcóolicas, realizar exercícios físicos frequentes, bem como consultar um médico regularmente são essenciais. Cuidar do equilíbrio dessa “roda de luz”, porém, envolve praticar meditação, atuando, dessa forma, sobre a energia que circula por ela.

Chakra cardíaco ou Anahata Chakra

Chamado de cardíaco ou Anahata, o quarto chakra se localiza na região do tórax entre a quarta e a quinta vértebra. Ele é responsável pela irrigação do coração, que por sua vez está relacionado ao sistema nervoso parassimpático e, por meio do sangue que bombeia, transporta água, alimento para as células e oxigênio dos pulmões a todas as partes do corpo. Ainda está ligado aos sistemas circulatório, linfático e imunológico.

Além disso, esse centro energético influencia os pulmões, os braços, as mãos e a glândula endócrina associada ao coração, que é o Timo. Também exerce influência sobre os demais chakras, pois encontra-se num ponto médio entre eles. Assim, ele equilibra os três superiores (espirituais), que são Coronário, Frontal e Laríngeo com os três chakras inferiores (físicos), que são Plexo Solar, Umbilical e Básico, sendo um elo entre eles.

Em desequilíbrio, esse centro energético pode produzir palpitações, arritmia cardíaca, hipertensão, patologias pulmonares, distúrbios nos níveis de colesterol, intoxicações, câncer, infarto, cãibras, síndrome do pânico e outras. É devido à gravidade desses problemas que realizar consultas regulares ao médico para verificar o bom funcionamento desses órgãos e sistemas é imprescindível. E considerando que ele é um portal para a espiritualidade, manter a prática da meditação não só previne muitos males, como pode apoiar a cura daqueles existentes, por meio da conexão com a energia divina.

Chakra laríngeo ou Vishuddha Chakra

O chakra laríngeo é o quinto e está localizado na garganta, na base da laringe, sendo responsável pela região da nuca, queixo, ouvidos, interfaces da voz, traqueia, brônquios, região pulmonar superior, esôfago e braços. Ainda está associado às glândulas tireoide e paratireoide, envolvendo a regulação do cálcio, humor, sono, da fadiga etc.

No caso de desequilíbrio desse centro energético, a pessoa pode ficar suscetível a infecções virais e bacterianas, como amigdalites e faringites, resfriados, herpes, dores musculares ou na nuca, distúrbios tireoidianos e bruxismo. Além disso pode apresentar rouquidão, gagueira etc.

Por ser um dos chakras superiores, a intervenção com meditação, entonação de mantras e terapias voltadas à espiritualidade são fundamentais para prevenir distúrbios e patologias relacionadas a ele, bem como auxiliar fortemente na cura, caso alguma delas já ocorra.

Chakra frontal ou Ajna Chakra

O sexto chakra é também conhecido como “Terceiro Olho”, o olho da percepção, que permite enxergar além da realidade e se localiza entre as sobrancelhas, na testa. Ele está relacionado com a glândula hipófise e a melatonina, hormônio responsável por regular o sono e a vigília, o crescimento e a resposta ao estresse.

Quando o chakra frontal encontra-se em desequilíbrio, ele pode causar problemas de visão, dores de cabeça e distúrbios do sono. Então mantê-lo equilibrado é essencial e para isso a meditação é um recurso que atua tanto na saúde física quanto na espiritual, vindo de encontro a esse, que é um dos chakras superiores.

Chakra coronário ou Sahasrara Chakra

O sétimo chakra se situa no topo da cabeça, aberto para o alto, sendo responsável pela glândula pineal, que atua no organismo como um todo. Refere-se à conexão da pessoa com sua espiritualidade e a integralidade do ser nos aspectos físico, emocional, intelectual e espiritual.

O desequilíbrio desse centro energético significa desordens em todos os aspectos da vida, sendo que fisicamente produz distúrbios no funcionamento de outras glândulas e no sistema nervoso central.

Em se tratando de um chakra superior e estreitamente relacionado à espiritualidade e à iluminação, além dos cuidados com o corpo físico, devem ser observados os cuidados com o autoconhecimento, com a expansão da consciência e com a evolução espiritual. No sentido de equilibrar esse chakra, há várias práticas, desde o exercício da religiosidade até a conexão com a natureza, o voluntariado, as demonstrações de gratidão, as ações de generosidade e principalmente a meditação.

Para concluir, cuidar do equilíbrio de cada chakra auxilia a mantê-los alinhados, além de se obter bem-estar geral: físico, emocional, intelectual e espiritual. E várias alternativas podem apoiar nessa ação, entre elas a terapia com cristais, a cromoterapia, o reiki e principalmente a meditação, que pode ser realizada diariamente, em alguns minutos e assim atuar na energia sutil de cada um deles. Aliás, ela deriva da compreensão do fluxo energético dos chakras, que alinhados, permitem uma vida serena e feliz. Então escolha o equilíbrio. Cuide desses centros energéticos com amor e respeito à vida. Ela é uma dádiva maravilhosa.

Aqui na Keyo temos diversos terapeutas capacitados para trabalharem no alinhamento energético dos chakras. Nos peça ajuda sempre que necessário.

Texto escrito por Chakras: saiba o que eles revelam sobre a sua saúde (eusemfronteiras.com.br)